Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Bebê de 6 meses morre em Feira de Santana; Mãe acusa hospital de negligência médica; Veja depoimento

Bebê de 6 meses morre em Feira de Santana; Mãe acusa hospital de negligência médica; Veja depoimento

Na madrugada desta quinta-feira (25), uma notícia viralizou nas redes sociais de Feira de Santana. A mãe de uma bebê de apenas 6 meses, teria perdido sua filha, e fez um desabafo no seu perfil do instagram, onde acusa que a morte da criança foi causada por negligência média. 

Segundo Ana Beatriz Oliveira, de 20 anos, no dia 18/11, sua filha, Maria Isabel, de apenas 6 meses de vida, teria apresentado sintomas graves, de fraqueza, sem reação a estímulos, ou interesse em se alimentar, e respiração ofegante. Ana então se dirigiu a um hospital referencia no atendimento pediátrico de emergência da cidade. Após longa espera, teria sido encaminhada a sala de isolamento, por suspeita de Covid-19, mas uma hora depois, foi liberada, com diagnostico de inflamação pulmonar, e receitado um medicamento, e tratamento com nebulização. 

Após piora do quadro, ela teria retornado ao hospital, e outra longa espera teria passado, até que foi atendia, feito uma avaliação, e novamente liberada. Ana, junto da mãe, avó da criança, solicitaram a internação da filha, pois percebeu a respiração irregular da criança, mas segundo ela, teria sido ignorada pelo atendimento, que teriam desdenhado da mesma, e dito que seria “exagero de mãe de primeira viagem”, e não iria submeter a bebê a um trauma  de ser colocada em acesso venoso. “Me trataram com frieza, que deveria ir para casa, e se o quadro piorasse, com abertura do nariz ou afundamento do estômago para as costelas, que só ai deveria retornar”, diz Ana que conta também que a mãe dela teria implorado para que colocasse a menina no oxigênio, o que foi negado.

Medindo a saturação, Beatriz diz que viu que estaria em 78%, e questionou  a porcentagem baixa, a medica teria informado que “não pegou direito” e refez o exame, que então teria dado 98%. Ela então foi embora do hospital sem mais exames. No dia seguinte por conta da seguida piora da filha, ela iria se dirigir ao hospital Bambinos, mas enquanto preparava documentos, sua mãe, que cuidava da neta, teria gritado que a criança tinha parado de respirar. Beatriz então ligou para a SAMU, mas segundo a mesma, não conseguiu que uma ambulância fosse ao local. Desesperada então gritou aos vizinhos pedindo por socorro. “Comecei a gritar na rua até um carro parar e levar a gente para a Policlínica do Parque Ipê, onde fui muito melhor atendida e entendida pelos profissionais”, conta.

Infelizmente, por volta das 15h10, do dia 19/11, Maria não resistiu e faleceu. “Até quando os médicos vão achar que conhecem um bebê mais que a própria mãe? Até quando nós vamos perder os nossos filhos por negligência médica?”, questiona Ana Beatriz em seu depoimento. 

Beatriz conta que já está tomando as providencias cabíveis sobre o caso, e que utilizou seu depoimento nas redes, para alertar outros pais e mães para a negligencia médica. “Nada que façam irá trazer minha pequena maria de volta, mas vou fazer o que for para que isso pare de acontecer, para que nenhuma mãe sinta o que estou sentindo. os médicos estudaram para fazer o melhor, juraram na sua colocação fazer o que for necessário para salvar uma vida, mas os médicos que atenderam minha filha não cumpriram com o seu juramento, e muito menos com o seu dever como profissional de saúde”, desabafa.

Segue depoimento na integra:

Ana Beatriz contou em live para a TV Caldeirão tudo sobre o ocorrido, Assista no instagram da TV Caldeirão

O hospital Bambinos emitiu nota sobre o caso após repercussão. Segue nota na integra;

Crédito: Divulgação

OUTRAS NOTÍCIAS