Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Banco de Leite Humano do Hospital da Mulher segue nova conduta para a coleta e doação

Banco de Leite Humano do Hospital da Mulher segue nova conduta para a coleta e doação

Devido à propagação do novo coronavírus (COVID-19) o Banco de Leite Humano do Hospital Inácia Pinto dos Santos (Hospital da Mulher) adota nova conduta de coleta do leite materno. O objetivo é eliminar possíveis dúvidas e preocupações das mães sobre a segurança de manter ou não as doações e o aleitamento materno e riscos de infecção.

Diante disso, a Prefeitura Municipal, através da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, orienta os cuidados necessários a serem seguidos de acordo a Secretaria de Atenção Primária do Ministério da Saúde e do Comitê Municipal do Covid-19.

Considera prudente manter a recomendação de doação de leite humano somente por lactantes saudáveis e sem contato domiciliar com pessoa que apresenta síndrome gripal, cabendo ao BLH, informar e orientar as candidatas à doação, bem como adotar medidas de avaliação sobre os riscos da síndrome gripal, de acordo com o protocolo do Ministério da Saúde.

Em função da pandemia do coronavírus, que as pessoas permanecem sob o isolamento social, houve uma queda substancial na doação de leite materno no Banco de Leite Humano do Hospital da Mulher.

“Tomando como base o mês de fevereiro, o Banco de Leite coletou 84 litros, sendo que 71,350ml foram da rota domiciliar e 12,750ml foram através de doações de pacientes internadas no HIPS. Entretanto, no mês de março tivemos uma queda significativa da coleta. As doações da rota domiciliar foram 49 litros e 15,750ml foram coletadas através de mães internadas, totalizando 64,750ml de leite materno”, disse Patrícia Silva, enfermeira da assistência do Banco de Leite Humano.

A coordenadora do Banco de Leite do Hospital da Mulher, Camila da Cruz Martins, avalia que a queda do número de material colhido no mês de março foi em função do temor pela doença. “Devido a isso há um déficit grande. Se no mês de março, recebemos 64,750 ml de leite coletados e distribuímos 78 litros para os neonatos que estão internados na UTI neonatal, observamos que o que coletamos ainda está aquém  das necessidades”, afirma.

A coordenadora salienta que “é contra indicada a doação por mulheres com sintomas compatíveis com a síndrome gripal, infecção respiratória ou confirmação do SARS-Covi-2 além de mulheres com contatos domiciliares de familiares com síndrome gripal ou caso confirmado da Covid19”, alerta Camila Cruz.

OUTRAS NOTÍCIAS