Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Bahia só ficará numa situação segura, quando toda população estiver vacinada contra a Febre Amarela

Bahia só ficará numa situação segura, quando toda população estiver vacinada contra a Febre Amarela

O Brasil já notificou 2.104 casos suspeitos de febre amarela, dos quais 492 foram confirmados, desde o início do atual surto no Brasil. Desses números, 162 mortes foram confirmadas como causadas pela doença. “Estes números estão atualizados até a última sexta-feira, quando o Ministério da Saúde recebeu os últimos boletins encaminhados pelas secretarias estaduais. Hoje pode ser mais casos, podem ser mais mortes”, alertou o deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), em pronunciamento na Assembleia Legislativa da Bahia, nesta terça-feira (28/3).

A Bahia registrou até agora apenas 22 notificações de casos suspeitos de febre amarela, dos quais 11 já foram descartados e 11 permanecem em investigação. E apenas um caso de morte suspeita, mas ainda sob investigação. Mas Geilson alerta para o perigo, que deve manter os baianos em total vigilância. “Minas Gerais é o estado mais atingido pelo surto da doença e, o que tem a maior área de divisa com a Bahia. Essa situação geográfica nos deixa bastante vulnerável”, frisou.

A preocupação do deputado gira em torno da prevenção à doença, que se dá por duas formas: uma é o combate ao mosquito Aedes Aegypti e outros mosquitos transmissores do vírus, e outra é a vacinação. “Sabemos que a Secretaria de Saúde do Estado, com apoio do Ministério da Saúde, reforçou os estoques de vacina nos municípios baianos que fazem divisa com Minas, mas ainda isso é pouco”, afirmou.

Para Geilson, a Bahia só ficará numa situação segura, quando toda população estiver vacinada contra a doença. “Esse é o caminho. E não se diga que faltam recursos, que é caro. Não existe palavra caro, quando se trata de vidas humanas. É preciso enfrentar o problema e salvar vidas”, reforçou.

OUTRAS NOTÍCIAS