Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Após preço do arroz disparar, Governo zera imposto de importação

Após preço do arroz disparar, Governo zera imposto de importação

O Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) anunciou que vai zerar a alíquota do imposto de importação para o arroz até 31 de dezembro de 2020. O objetivo  é reduzir o custo do arroz importado para aumentar a oferta e conter a alta de preços do produto, que praticamente dobrou nas prateleiras.

A informação foi confirmada por meio de nota, no início da noite desta quarta-feira (9).  “A redução temporária está restrita à quota de 400 mil toneladas, incidente nos produtos abarcados pelos códigos 1006.10.92 (arroz com casca não parboilizado) e 1006.30.21 (arroz semibranqueado ou branqueado, não parboibilizado) da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM)”, explica a  Camex.

O presidente Jair Bolsonaro tem apelado a donos de supermercado para abaixarem os preços da cesta básica. Nesta quarta-feira (9), o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou relacionou a alta no preço do arroz ao auxílio emergencial de R$ 600 distribuídos pelo Governo Federal. Segundo ele, a inflação se dá pela lei da “oferta e da procura”.

A explicação para a alta dos alimentos, todavia, pode ser outra: a escalada do dólar, que impulsiona as exportações e diminui a oferta dos produtos no mercado interno.

A Secretaria Nacional do Consumidor, vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, notificou representantes de produtores de alimentos para esclarecer o aumento no valor dos produtos que compõem a cesta básica. A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e as associações de produtores terão cinco dias para explicar a alta nos preços praticados.

OUTRAS NOTÍCIAS