Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Após episódio em Feira, deputado bolsonarista quer punir quem destruir bandeira nacional

Após episódio em Feira, deputado bolsonarista quer punir quem destruir bandeira nacional

O deputado federal bolsonarista Abílio Santana (PL) apresentou um projeto de lei na Câmara dos Deputados que proíbe e cria pena contra destruição ou ultraje à bandeira, emblemas e símbolos nacionais, inclusive por civis. A decisão se dá após a repercussão de um ato da cantora Tertuliana Lustosa, da banda A Travestis, que postou um vídeo queimando a bandeira do Brasil durante show no município de Feira de Santana (BA).

O fato foi repudiado pelo deputado, que também é líder evangélico. Ele classificou como “desrespeito ao símbolo nacional e falta de patriotismo”. A pena prevista na matéria, caso seja aprovada, é de reclusão, de 2 a 4 anos.

“Os símbolos da República Federativa do Brasil são patrimônios e representações da nação, devendo ser invioláveis. Manifestações populares e atos de civis falsamente revestidos de apelos democráticos, publicamente, via internet ou qualquer meio de rede social que representem ultraje, desrespeito e violabilidade desses símbolos nacionais, sobretudo a bandeira nacional, merecem ser cabalmente criminalizados”, justificou, em nota.

O texto acrescenta o inciso V ao art. 31 da Lei n.º 5.700 de 01 de setembro de 1971 para proibir qualquer tipo de ultraje ou destruição à bandeira nacional, emblemas e símbolos nacionais, inclusive praticados por qualquer cidadão civil e altera os art. 35 e 36, da Lei n° 5.700, de 1 de setembro de 1971, que o dispõe sobre a forma e a apresentação dos Símbolos Nacionais, para criar o tipo penal de destruição ou ultraje a bandeira, emblemas ou símbolos nacionais.

Em entrevista ao BNews, nesta terça-feira (28), Tertuliana, que também é formada em História da Arte pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), afirmou que o vídeoclpe da música ‘Abaixa  o Preço do Gás’, lançado no mesmo dia do show, a motivou a fazer a performance. Na canção, ela faz uma crítica ao governo Bolsonaro. Ela explica ainda que quis chamar a atenção sobre os crimes praticados contra travestis no Brasil.

Informações: BNews

OUTRAS NOTÍCIAS