Após 30 dias preso, suspeito de matar professora em Riachão do Jacuípe é solto

page

page

Foi liberado da delegacia de Teofilância na tarde desta quinta-feira (4), Cássio Fabrício Carneiro, suspeito de matar a professora Ienata Pedreira Rios, de 35 anos, em Riachão do Jacuípe, no dia 3 de julho. O ex-noivo da vítima teve a prisão temporária revogada após expirar o prazo de 30 dias.

De acordo com o delegado Sérgio de Araújo Vasconcelos, responsável pelo caso, o poder judiciário revogou a prisão por não haver novos motivos para mantê-lo preso, uma vez que a prisão temporária dele não pôde ser prorrogada.

Ele explicou que foi feito um relatório minucioso, com depoimento e perícias, e pediu a prorrogação do prazo de conclusão do inquérito por se tratar de um caso de difícil elucidação, mas os resultado dos exames do Departamento de Polícia Técnica não ficaram prontos a tempo.

“A maioria das perícias ainda não foi concluída, e ele responderá em liberdade. As investigações continuam, vamos continuar investigando não só o principal suspeito, mas também outras pessoas que estão relacionadas e aguardar os resultados dos laudos periciais que poderão confirmar e ajudar na elucidação da autoria do crime. Infelizmente alguns exames demoram, outros são feitos em Salvador, levam 60 dias às vezes 90 dias”, disse o delegado.

Durante o período em que estiver respondendo em liberdade, Cássio não pode sair da cidade. Ele pode voltar para a prisão, caso os resultados dos laudos comprovem mais um indício de que o crime foi praticado por ele.

OUTRAS NOTÍCIAS