Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Alec Baldwin diz que não se sente culpado por tragédia em set

Alec Baldwin diz que não se sente culpado por tragédia em set

O ator Alec Baldwin disse não se sentir culpado pela morte da cineasta Halyna Hutchins, mortalmente ferida no set do faroeste Rust, em entrevista divulgada quinta-feira (2) pela ABC News. Essa foi a primeira vez que o ator participou de um programa de televisão desde o acidente.

“Sinto que existe um responsável pelo que aconteceu, e não posso dizer quem é, mas sei que não sou eu. Por Deus, se ele sentisse que eu era o responsável, poderia ter me matado”, disse Baldwin.

O ator, de 62 anos, descreveu em detalhes o que aconteceu durante o ensaio de 21 de outubro, durante o qual uma bala feriu mortalmente Hutchins e o diretor do filme, Joel Souza, que teve alta no mesmo dia.

Baldwin afirmou que recebeu a arma e ouviu que ela estava “fria”, o jargão do cinema para esclarecer que uma arma foi descarregada.

“Eu seguro a arma onde ela [Hutchins] me indica […] digo a ela que vou largar o martelo da arma e pergunto se ela quer ver, e ela diz que sim”, explicou.

Depois de posicionar a arma conforme as instruções de Hutchins, Baldwin especifica: “Eu solto o martelo. Bang. A arma dispara. O gatilho não foi puxado. Eu não puxei o gatilho, nunca puxei o gatilho. Não, não, não, não, não. Eu nunca apontaria uma arma para alguém e puxaria o gatilho”, insistiu Baldwin.

“Todo mundo ficou horrorizado. Eles ficaram em choque. Foi alto. Eles não estavam usando fones de ouvido. A arma deveria estar vazia. Eles me disseram que estavam me entregando uma arma vazia.”

Baldwin disse que seu primeiro pensamento foi que Hutchins desmaiou ou teve um ataque cardíaco. Ele só soube que ela havia morrido devido a um ferimento à bala, horas depois de falar com a polícia.

Rust foi filmado no Bonanza Creek Ranch, um famoso set no Novo México. O ator estrelou e produziu o faroeste de baixo orçamento e agora é alvo de dois processos civis movidos por membros da equipe, bem como pela armeira do filme, Hannah Gutierrez-Reed.

Gutierrez-Reed disse que não tem ideia de como as balas reais entraram no set, e seu advogado sugeriu que pode ser sabotagem.

Baldwin não acredita nessa teoria. “Não sei como alguém poderia ter feito isso […] É extremamente provável que tenha sido um acidente”, acrescentou.

O três vezes vencedor do Emmy também reagiu aos comentários de colegas sobre os protocolos de tiroteio. “Muitas pessoas acharam necessário contribuir com comentários que não foram úteis.”

Em meio a lágrimas, Baldwin disse que a tragédia, pessoalmente, foi a pior que lhe aconteceu, e que, profissionalmente, ele não consegue se imaginar fazendo outro filme com armas.

Ele afirmou ter falado com Matthew Hutchins, viúvo de Halyna, e acrescentou que não ficaria surpreso se Hutchins movesse uma ação judicial contra a produção, da qual o ator faz parte.

Assista à entrevista completa (conteúdo em inglês):

Informações; R7

OUTRAS NOTÍCIAS