Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Advogadas de Dayane Mello dizem que Record barra contato com modelo após suspeita de estupro

Advogadas de Dayane Mello dizem que Record barra contato com modelo após suspeita de estupro

As advogadas Izabella Borges e Vanessa Tomaz, que fazem parte da equipe jurídica que atende a modelo Dayane Mello, participante do reality show a Fazenda, da Record TV, reclamam que a emissora não está permitindo comunicação com sua cliente após ela ter sido vítima de um suposto estupro.

Patrícia Kogut:Nego do Borel grava vídeo com a mãe após expulsão de ‘A Fazenda’

Vanessa Tomaz afirma que tem insistido em conseguir que a Record permita contato com a participante, sem que ela seja eliminada do programa.

Procurada, a emissora não se manifestou até a publicação desta reportagem.

— Queremos entrar em contato com ela porque é direito de qualquer vítima ter assistência de advogado para ter conhecimento e discernimento sobre o que ocorreu, mas a Record nos impediu, alegando que se isso ocorresse, Dayane seria expulsa — disse a advogada, afirmando que no momento a prioridade é garantir a segurança de sua cliente.

Nego do Borel foi expulso do programa neste sábado depois da repercussão das imagens que mostram o cantor e a modelo sob o edredom. Nas imagens, Borel aparenta ter agido contra a vontade de Dayane, que estava embriagada. Pelo áudio da cena, é possível ouvi-la pedir para que o artista parasse o que estava fazendo, o que não teria sido atendido.

Saiba mais:Nego do Borel está ‘triste e sem entender o que aconteceu’, após expulsão de reality

Segundo a colunista do Globo, Patricia Kogut, Nego do Borel terá que prestar depoimento à Polícia Civil em inquérito instaurado pela delegacia de Itapecerica da Serra, na região metropolitana de São Paulo, onde o programa é gravado.

“O caso é investigado por meio de inquérito policial instaurado pela delegacia de Itapecerica da Serra. A unidade analisa as imagens dos fatos e realizará a oitiva do suspeito. Outros detalhes serão preservados a fim de garantir a autonomia do trabalho policial”, informou a assessoria da polícia em nota.

Outros advogados que integram a equipe de Dayane foram no sábado até a delegacia de Itapecerica da Serra para registrar um Boletim de Ocorrência de suposto estupro de vulnerável.

— Eu e Izabella Borges, em conjunto com a família da Dayane, estamos alinhando uma estratégia e definindo os próximos passos sobre o caso. No caso em questão, há estupro de vulnerável pelo fato de ela estar embriagada e sem estar em pleno juízo. É uma ação penal pública, cabe ao Ministério Público oferecer a denúncia contra o suspeito — afirmou Vanessa Tomaz ao GLOBO.

A advogada Izabella Borges também representa Duda Reis, influenciadora e ex-namorada de Nego do Borel que também move ações contra ele por violência doméstica. O cantor foi indiciado por lesão corporal e há um inquérito em andamento sobre o caso, disse Borges ao GLOBO.

Vanessa Tomaz ainda critica o modo pelo qual a edição do programa teria retratado o caso na edição do programa que foi ao ar ontem.

— Dayane continua abalada, é um trauma. A  vítima não tem o conhecimento concreto do que aconteceu, ela disse em vários momentos que não se lembra (do ocorrido). É injusta a forma como o caso foi mostrado na televisão. A edição não teve respeito pela vítima, deixaram tudo de uma forma leviana. Isso pode desestimular mulheres que tenham passado por casos similares a denunciarem — salienta Vanessa.

Em nota, as advogadas afirmam ainda precisar “de apoio da opinião pública”. Já a assessoria de imprensa da modelo afirmou, também em nota, que a edição do fato exibida pela Record é “triste e absurda”.

“Apesar da expulsão do participante que colocou em risco a integridade física de Dayane, a edição optou por colocá-la como culpada do abuso sofrido. Segundo o programa, o resumo da noite da vítima foi correr atrás do homem que a violentou”.

O documento afirma que o reality exibiu uma “narrativa distorcida dos fatos”.

“Esconderam dos olhos do público as diversas vezes em que Dayane disse para parar, que não podia e não queria. Não mostraram as falas repugnantes do participante falando que precisava de concentração para (que) seu órgão íntimo estivesse rígido o suficiente para praticar atos sexuais”, prossegue a nota.

A equipe de Nego do Borel se pronunciou pelas redes sociais do cantor sobre o fato, negando que o cantor haja cometido o crime.

“Lamentamos que assim como aqui fora o cantor tenha sido julgado desta forma dentro do reality, no qual em alguns poucos momentos conseguiu se divertir sem todos esse olhares e apontamentos que o cercam. E se comprime em junto com a sua equipe jurídica, provar mais uma vez toda a sua inocência”, diz o texto.

Informações: O Globo

OUTRAS NOTÍCIAS