Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Acusada de matar mulher com 50 facadas disse que ‘baixou um santo’

Acusada de matar mulher com 50 facadas disse que ‘baixou um santo’

89070-3

A acusada de ter matado com cerca de 50 golpes de faca e tentado ocultar o corpo em um colchão enquanto o transportava em uma carroça, já está presa no Conjunto Penal de Feira de Santana.

Thaís Fortunada dos Santos, 20 anos, prestou depoimento na manhã desta quinta-feira (29), no Complexo de Delegacias, e descreveu como matou Thaiure Silva de Araújo, também de 20 anos. O homicídio ocorreu na residência onde as duas moravam com o marido da vítima, na Avenida Canal, no bairro Rua Nova.

O delegado Carlos Lins informou que o crime aconteceu após uma briga motivada por pertences da acusada, que estariam sumindo, entre eles roupas e alongamento de cabelo (mega hair). A discussão inicialmente ocorreu entre os três moradores da residência, mas quando o marido de Thaiure saiu, ela cometeu o crime.

Durante depoimento, Thaís contou que pensou em esquartejar a vítima, mas resolveu ocultar o corpo inteiro por “ser algo mais fácil”. Ela disse também que “baixou um santo nela, que a mandou matar”.

“Ela disse que quando as duas ficaram sozinhas foi como se tivesse baixado um santo mandando matar a outra por causa disso (pertences sumindo) e ela então pegou uma faca e desferiu vários golpes, quase 50 ou mais de 50 na vítima. Depois saiu para dar uma voltinha dizendo que iria descansar a cabeça e quando retornou por volta de 10h da manhã o corpo começou a feder e então ela resolveu dar fim no corpo. Ela iria esquartejar, chegou a cortar a perna da mulher. Ela iria jogar a perna no riacho ali atrás, mas viu que diante do trabalho que teria, seria mais fácil jogá-lo inteiro, razão pela qual ela colocou todo o corpo dentro da cama box e chamou um homem para colocar o corpo na carroça. Quando ele viu que ela cometeu o crime passou a agredi-la com outras pessoas. Em seguida, ela chamou dois carroceiros que vinham passando na rua e pagou 20 reais para colocarem a cama box na carroça dizendo que ela queria dar fim. Quando eles pegaram a cama e observaram o peso, ela disse que tinha um cachorro morto, mas logo os carroceiros perceberam que não se tratava de um cachorro e abandonaram a carroça. O povo começou a espancá-la, e ela foi levada para o hospital, onde recebeu voz de prisão”, relatou o delegado.

O delegado disse ainda que Thais cometeu o crime sozinha e que alegou ter distúrbios psicológicos. “Ela disse que tinha problemas de cabeça, que não fez tratamento, e que o crime foi em virtude do problema que ela tem. A autora disse que o santo determinou que ela matasse Thaiure”, informou o delegado. A vítima foi assassinada com golpes nos braços, barriga, tórax e costa.

Aldo Matos

OUTRAS NOTÍCIAS