Achados e Perdidos armazena mais de 20 mil documentos e objetos que podem ser retirados pelos donos

Documentos-perdidos-na-Micareta-Foto-Jorge-Magalhaes-3

Cerca de 20 mil documentos pessoais como identidade, carteira de habilitação, chaves, carteiras, entre outros, estão disponíveis para a retirada na Secretaria de Prevenção à Violência (SEPREV). Alguns encontrados durante a Micareta 2023. O órgão vinculado à Prefeitura de Feira de Santana recebe os itens da Polícia Militar, inclusive aparelhos celulares perdidos.

Os documentos e objetos ficam armazenados no setor “Achados e Perdidos”. A inspetora Christina, responsável pela triagem e entrega dos documentos, explica como funciona o processo.

“Quando um documento perdido chega aqui, fazemos a catalogação dele e lançamos no site da Prefeitura. O tempo que podemos ficar em posse deles é de até três meses, mas costumamos estender. Após esse prazo, a SEPREV devolve esses documentos para os seus respectivos órgãos emissores”.

A relação de nomes das pessoas que possuem algum tipo de documento em posse do órgão pode ser consultada no site da Prefeitura (feiradesantana.ba.gov.br), na página da SEPREV, no banner “Achados e Perdidos”.

Se o nome da pessoa constar nesta relação, o documento está conosco“, afirma a inspetora. Para obtê-lo de volta, basta  procurar o órgão que fica localizada na rua Leolinda Barcelar Lima, nº 224, bairro Kalilândia, e funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

O processo de devolução é feito mediante o reconhecimento da foto (se o documento possuir), boletim de ocorrência ou apresentação de outro documento oficial.

De acordo com o secretário de Prevenção à Violência, Moacir Lima, é mais fácil e conveniente a pessoa retirar o documento perdido do que fazer outro.

“É importante divulgar esse serviço para que as pessoas possam vir buscar seus documentos perdidos, muita gente não sabe deste serviço. É mais fácil a pessoa retirar seu documento perdido aqui do que precisar pagar pela emissão de uma segunda via”, salienta.

Apesar da utilidade pública do setor de Achados e Perdidos, nem todos os documentos são encaminhados à SEPREV. A inspetora Christina chama a atenção para a necessidade da centralização deste serviço.

Seria interessante que os demais órgãos da cidade, as Casas Lotéricas, tivessem a SEPREV como base de referência para armazenar e cuidar desses documentos perdidos, centralizando tudo em um único lugar. Iria facilitar demais a vida do cidadão”, considera.

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS