Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

“A amputação do pênis não causa impotência”, afirma médico

“A amputação do pênis não causa impotência”, afirma médico

Associado a má higiene íntima, a infecção pelo papilomavírus humano (HPV) e a fimose, o câncer de pênis é um tumor raro e atinge apenas 2% dos homens. Com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, esse tipo de tumor é mais frequente nas regiões Norte e Nordeste.

Conforme o médico Urologista, Dr Luciano Vital, “muitas vezes o homem lava o pênis por fora e não lava por dentro e acaba juntando o esmegma, (sebo no pênis), que é altamente cancerígeno. À medida que as condições higiênicas foram melhorando, ao longo dos anos, a incidência de câncer de pênis, diminuiu muito”, explica.

O diagnóstico precoce é fundamental para evitar a evolução do tumor e a posterior amputação total do pênis, que traz consequências físicas, sexuais e psicológicas ao homem.

“A amputação do pênis não causa impotência, o problema é parte que foi retirada, tem casos que é necessário a retirada completa, caso fique algum pedaço, ele pode sim, ter uma vida sexualmente ativa. A prótese peniana é para quem tem dificuldade de ereção. Certas cirurgias de câncer, casos de quimioterapia, é necessário a prótese, pois causa a impotência”, relata Dr. Luciano Vital.

Para concluir, o urologista, esclareceu que as cirurgias para  alongamento peniano é uma farsa. “O alongamento peniano, é considerado pelo Conselho de Medicina um charlatanismo, não existe cirurgia para isso. Alguns hospitais fazem, mas os resultados não são interessantes”, concluiu.

Entrevista com o médico  Urologista, Dr Luciano Vital

Informações: Conectado News

OUTRAS NOTÍCIAS