A Casa Diocesana de Vilar no Porto acolheu de 11 a 16 de junho a reunião plenária trimestral do Conselho Geral Internacional da Sociedade de S. Vicente de Paulo (SSVP). Um tempo essencial para a reflexão e a partilha de práticas e experiências com a participação de representantes de 80 países.
Segundo dados oficiais, a SSVP está presente em 150 territórios de 138 países, sendo uma organização que agrupa mais de 800 mil católicos organizados em 47 mil Conferências ajudando diariamente cerca de 30 milhões de pessoas. As Conferências Vicentinas, fundadas no ano 1833 em Paris, têm como figura inspiradora S. Vicente de Paulo e em Frederico Ozanam o seu fundador mais destacado, que foi beatificado por João Paulo II em 1997 na Catedral de Notre Dame.

Renato Lima de Oliveira é o atual presidente do Conselho Geral Internacional da SSVP tendo iniciado o seu mandato em 2016. É brasileiro, tem 47 anos, é casado e pai de dois filhos. Em declarações à Agência Ecclesia afirmou que a SSVP “é o braço direito da Igreja” levando “às pessoas mais carenciadas” não só “bens materiais” mas também a “Palavra de Deus”.

“O vicentino muito mais do que um entregador de bens materiais, vai dar uma palavra amiga e vai abraçar uma pessoa que sofre” – afirma o presidente do Conselho Geral da SSVP sublinhando que o vicentino do século XXI está atento às “novas formas de pobreza” como pede o Papa Francisco.

Vicentino é agente transformador da realidade

Renato Lima de Oliveira apontou que a juventude, a formação, os projetos sociais e a expansão da organização para outros países são prioridades do seu mandato pois “a caridade não tem fronteiras, a caridade não tem limites” – afirmou.

O presidente da SSVP refere que no âmbito do objetivo do trabalho com a juventude será necessário estar também mais presente no meio universitário, para “regressar às origens”, pois Frederico Ozanam e os restantes fundadores eram homens da universidade.

“O vicentino tem que ser um agente transformador da realidade” – afirma Renato de Oliveira salientando o relevante esforço que tem vindo a ser desenvolvido pelo Conselho Geral Internacional para dar aos leigos vicentinos uma formação com duas vertentes fundamentais: formação cristã e humana. Para orientar e ajudar as pessoas carenciadas.

Foi o Conselho Central do Porto que acolheu esta reunião mundial da SSVP. Em entrevista, Manuel Carvas Guedes, presidente desta estrutura local, revelou ter sido com enorme satisfação que receberam o desafio de acolher a reunião do Conselho Geral Internacional da SSVP. O presidente do Conselho Central do Porto frisou ter sido “uma honra” e “uma alegria” receber os vicentinos de todo o mundo que vieram partilhar as suas “experiências” de “serviço” aos pobres.

“A marca que me deixa a mim, particularmente, e a todos os membros do Conselho Central do Porto é de que a Sociedade de S. Vicente de Paulo, pelo seu carisma, pode contribuir para um maior bem-estar do mundo, digamos que a SSVP pode dar um contributo importante para a paz no mundo” – disse Manuel Carvas Guedes sublinhando que a paz é “disponibilizarmo-nos para o perdão e o serviço aos outros”.

O Presidente do Conselho Central do Porto referiu ainda a sua esperança de que o beato Frederico Ozanam possa vir a ser em breve canonizado devido a um milagre acontecido com uma criança no Brasil, segundo informação transmitida no decorrer desta reunião mundial dos vicentinos.

Informações: Vatican News/Caldeirão do Paulão