Sete mandados de prisão e dez de busca e apreensão foram cumpridos na manhã desta quarta-feira, 15, na Câmara de Vereadores de Ilhéus, durante uma operação deflagrada pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA). A ação investiga crimes contra a administração pública, fraudes em licitações e contratos e lavagem de dinheiro, praticados entre os anos de 2011 e 2018.

Apesar não não revelar nomes, a operação prendeu agentes públicos e empresários envolvidos em organizações criminosas. Com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco), 8ª Promotoria de Justiça de Ilhéus e Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Operação Xavier dá continuidade a investigações de esquemas fraudulentos identificados pela Operação Citrus – em 2017 -, que revelou esquemas de corrupção praticados por agentes públicos com o apoio de empresas de assessoria contábil e de licitações, contratadas para acobertar práticas ilícitas.

Além das prisões, um vereador e sete servidores da Câmara Municipal foram afastados. Foram apreendidos diversos documentos e objetos, como celulares e computadores. As pessoas foram ouvidas pelo Ministério Público e encaminhadas pela PRF à Delegacia Judiciária local.

Além de agentes da PRF, a ação contou com o apoio da Coordenadoria de Segurança Institucional e Investigação (CSI) e do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Proteção à Moralidade Administrativa (Caopam) e de promotores de Justiça da Bahia, que atuaram no cumprimento dos mandados.