image_mini (2)

Isaías relatou que visitou o HGCA, na última sexta-feira, e que escutou os reclames dos pacientes. “Escutamos algo referente à tristeza, dor e lamento. Um médico disse para um paciente que não poderia fazer muita coisa naquele dia, porque estava faltando importantes medicamentos, como por exemplo, a Dipirona”, reclamou.

O vereador afirmou que  as quatro salas do centro cirúrgico se encontravam  interditadas, porque, segundo ele, estavam servindo de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Isaías denunciou também que havia pessoas nos corredores esperando uma vaga para realizar uma cirurgia.

Conforme o edil, na última sexta-feira, nove pessoas morreram no HGCA, no sábado mais duas pessoas e, no domingo, sete. “No total foram 18 pessoas mortas dentro do Hospital Geral Clériston Andrade. Isto é uma vergonha”, protestou.

Disse que, no último final de semana, o HGCA ficou impossibilitado de receber pacientes de outros municípios, por causa do elevado número de pessoas que estavam internadas naquela unidade de saúde. Segundo ele, muitos pacientes foram recomendados pelo próprio hospital a  procurarem atendimento em hospitais de Salvador.

“É lamentável que um Hospital Geral se encontre em tal situação. Por isso faço um apelo aos membros da Comissão de Saúde desta Casa, para que visitem, mais uma vez, o Hospital Clériston, com o objetivo de averiguar essas denúncias”, disse Isaias.

Em sua opinião, uma vez comprovada as denúncias pela Comissão de Saúde, o caso deve ser levado ao conhecimento do Ministério público.

Na oportunidade, o vereador Marcos Lima (PRP) declarou que a situação do HGCA está ruim e que, realmente, faz-se necessária uma maior atenção do Governo do Estado. Ele  alertou que, caso a situação continue no HGCA, os pacientes das cidades circunvizinhas irão sofrer com a falta de atendimento.

O vereador Alberto Nery (PT) ressaltou que o HGCA atende pacientes de 148 municípios. Para ele, é necessário que se encontre alternativas para atender a demanda. “A melhor forma é buscar alternativas para esvaziar mais o Cleriston Andrade e não ficar fazendo palanque aqui nesta Casa com relação à questão do hospital”, disse o petista.