Jovem revela “medo de morrer” após ser espancado em durante jogo de futebol

Paulão 6 de dezembro de 2017 | 12:28 pm

jogador_no_chao

Globo Esporte – Trauma: “desagradável experiência emocional de tal intensidade, que deixa uma marca duradoura na mente do indivíduo”. A descrição é oriunda do dicionário, mas há quem nem precise pesquisar o significado. Esse é o caso do jovem Matheus Galvão, de apenas 18 anos.

Vítima de um espancamento coletivo na final do Campeonato Amazonense juvenil, no sábado, o zagueiro do Sulão, que chegou a desmaiar no gramado, reveleu choque e admitiu, inclusive, que cogita pendurar as chuteiras.

Essa é a pergunta que vem na minha cabeça todo dia (se segue ou não no futebol). Acredito que tenha sido um livramento, que Deus me deu mais uma oprtunidade de sobreviver. Estou atrás da minha resposta. Se devo continua, ir atrás do meu sonho de vida, ou parar de jogar, porque foi um livramento – disse.

Em conversa por telefone com o GloboEsporte.com, Matheus disse que ainda sente muitas dores na cabeça, principal ponto das agressões. O jovem relembrou a “surra”, mencionou ”medo de morrer” e destacou que não perdoa os agressores.

– Não (perdoa os agressores). Eu não entendi muito bem porque eles vieram para cima de mim. Quando percebi, eles estavam vindo na minha direção. O treinador me agrediu, eu caí no chão. Nisso só vi muitos pessoas me pisoteando, me chutando forte, vi que já estava saindo muito sangue. Eu levantei porque fiquei com medo de ficar no chão. Nisso veio um atletas delse e me deu um chute, que eu desmaiei. Me reanimaram no hospital. Fiquei com medo de morrer ali. Fiquei muito decepcionado – acrescentou o menino.

Possibilidade de sequela

mateus-galvao

Após ficar desacordado e ser encaminhado ao hospital, o jovem recebeu alta no mesmo dia. Ele segue tomando antibiótico contra as dores, mas o procedimento, de acordo com, não tem surtido efeito. As noites de sono são ruins e, ainda segundo o jovem, novas consultas serão realizadas. Sequelas não são descartadas

– To sentindo dores na cabeça devido as pancadas que levei. Estou tomando muito antiboótico para ver se passa as dores, fui no médico fazer a tomografia, e eles acham que pode ter danificado alguma coisa na minha cabeça. Estão mandando eu voltar lá. Estão avaliando, estou com dificuldades para dormir – finalizou.

Diretor Presidente: Josse Paulo Pereira Barbosa
Departamento Jurídico: Dr. Fernando Oliveira | Dr. Alberto Dalton Coelho
Diretor de Sede: Alex Neves Barbosa
Diretor Administrativo: Paulo Jadson de Oliveira Barbosa
Jornalista: Rute Damascena
Fone: 75 3021.1910 | Celular: 8835.3367 - 8110.3577


E-mail: programalivredopaulao@gmail.com