O Itaú Unibanco está com um plano de fechar até 400 agências no país. A decisão faz parte de uma política de reposicionamento da rede de agências baseada no atendimento em canais de digitais. Em Feira de Santana, já está confirmado o fechamento da agência do Banco Itaú do Centro de Abastecimento.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

 A presidente do Sindicato dos Bancários, Sandra Freitas, lamentou essa situação e confirmou em entrevista ao Acorda Cidade que a agência deverá funcionar até o dia 10 de junho. De acordo com ela, a notícia foi recebida com surpresa e o fechamento vai prejudicar, além dos funcionários, comerciantes e clientes do entreposto comercial.

“A gente vê aquela agência como uma agência muito lucrativa e muito importante para os comerciantes locais e infelizmente o banco disse que só funciona até o dia 10. O Centro de Abastecimento é o maior entreposto comercial do Norte-Nordeste do Brasil e a gente vê que o movimento é bom. A agência é frequentada por muita gente e a gora o banco vem com essa dizendo que vai retirar as pessoas. Infelizmente, mais uma vez as pessoas vão ficar no prejuízo. O que nós conseguimos foi a palavra do banco dizendo que não ia demitir os funcionários”, disse em entrevista ao Acorda Cidade.

Sandra Freitas relatou ainda que com o fechamento das agências, as que permanecem abertas ficarão super lotadas com funcionários adoecendo, fazendo hora extra e inclusive comprometendo o atendimento dos clientes. Na agência do Centro de Abastecimento trabalham seis pessoas e esses funcionários serão transferido para outras unidades.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

O quadro de demissões de bancários em Feira de Santana, de acordo com ela, aumenta a cada dia, e do ano passado para cá houve uma baixa de quase 100 pessoas.

“Tivemos bancários que foram demitidos e aí incluído também o plano de demissão voluntária que teve no Banco do Brasil e na Caixa. Nisso vem reduzindo cada vez mais o número de trabalhadores. Éramos aproximadamente 1.000 bancários e estamos com 800 e poucos trabalhadores na base. Já perdemos quase 200 trabalhadores”, lamentou.

Informações: Acorda Cidade