Corrida histórica pela artilharia das camisas tem Neymar e Jesus como herdeiros

Paulão 13 de junho de 2018 | 10:05 am

20180602114017-5b12ac513a529

O futebol pode se modernizar, habitar arenas, incorporar novas expressões táticas, vestir camisas 39 ou 83, mas quem ainda não se deixa seduzir por charmes antigos como os números 10 e 9 às costas de craques e artilheiros?

No Brasil, a relação vem de criança. Qualquer garoto quando ganha ou compra uma camisa de seu time ou da Seleção sente-se orgulhoso de ser o 10 ou o 9. E isso tem muito a ver com o que eles já fizeram em Copas do Mundo.

Desde o Mundial de 1954 – quando a numeração passou a ser fixa – a camisa 10 do Brasil já fez 34 gols. A 9 fez 33. Sozinhas? Claro que não. Nos corpos de personagens históricos como Pelé, Ronaldo, Tostão, Zico, Careca, Rivellino… E em 2018, quem dará sequência a essa disputa lúdica e eletrizante são os dois principais goleadores da, por enquanto, bem sucedida Era Tite.

Diretor Presidente: Josse Paulo Pereira Barbosa
Departamento Jurídico: Dr. Fernando Oliveira | Dr. Alberto Dalton Coelho
Diretor de Sede: Alex Neves Barbosa
Diretor Administrativo: Paulo Jadson de Oliveira Barbosa
Jornalista:Rebeca Rios
Fone: 75 3021.1910 | Celular: 8835.3367 - 8110.3577


E-mail: programalivredopaulao@gmail.com